MSG

DE TERÇA A SEXTA O ESPORTE COM LIGEIRINHO TEM ENCONTRO MARCADO NA PORTO BRASIL FM 88,7 OU NO WWWW.RADIO88FM.NET

NOTÍCIAS DO ESPORTE NA BAHIA, NO BRASIL E NO MUNDO.

PUBLICIDADE

segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Palmeirense morto na Anchieta é a 13ª vítima de 2014; São Paulo lidera, com quatro


Leonardo da Mata Santos é o mais recente integrante de uma estatística assustadora. O palmeirense, que perdeu a vida após uma tentativa malsucedida de emboscada contra santistas na Rodovia Anchieta, foi a 13ª vítima ligada ao futebol em 2014.
Com a morte do jovem, de apenas 21 anos, o estado de São Paulo se consolida com o lamentável 1º lugar entre os mais violentos do ano, com quatro mortes. Pernambuco e Paraíba, com duas vítimas ligadas ao futebol, vêm atrás. Os estados de Santa Catarina, Goiás, Bahia, Pará e Sergipe registraram uma morte nesta temporada.
Chama atenção que, das quatro vítimas paulistas, três foram consequência de emboscadas. Além de Leonardo, os outros dois que perderam a vida por meio dessa prática nefasta de violência são: Márcio Barreto de Toledo, santista, de 34 anos, massacrado por são-paulinos na zona leste da capital, e Gilberto Torres Pereira, palmeirense, de 30 anos, que apanhou de um grupo de corintianos na estação de trem de Franco da Rocha, região metropolitana de São Paulo.
Robson Oliveira João, de 36 anos, foi a única morte ligada ao futebol no estado de São Paulo sem emboscada. O torcedor morreu após uma discussão num bar de São Vicente (SP). Robson levou um tiro de um policial militar que, fora do horário de trabalho, se irritou quando foi chamado de "bambi". Os dois assistiam pela televisão a partida entre São Paulo e Flamengo, pelo Brasileirão.
Pelo Brasil, três das mortes registradas em 2014 chamaram mais atenção e ganharam espaço na mídia nacional. João Augusto Grah, de 27 anos, torcedor do Avaí, atingido por uma pedra quando voltava de ônibus para Florianópolis; Paulo Ricardo Gomes da Silva, de 26 anos, torcedor do Sport, atingido por um vaso sanitário jogado do anel superior do estádio do Santa Cruz, e Evandro Rodrigues Cavalcante, de 37 anos, torcedor esmeraldino, mais uma vítima da guerra entre facções de Vila Nova e do Goiás.
Em tempo: o palmeirense Leonardo da Mata Santos foi a 251ª vítima ligada ao futebol desde o registro da primeira, que foi a de Cleo Sóstenes Dantas da Silva, torcedor do Palmeiras, em outubro de 1988. Cleo foi presidente da maior uniformizada do clube alviverde.
Foto: Daniel Sobral/ Futura Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário