MSG

DE TERÇA A SEXTA O ESPORTE COM LIGEIRINHO TEM ENCONTRO MARCADO NA PORTO BRASIL FM 88,7 OU NO WWWW.RADIO88FM.NET

NOTÍCIAS DO ESPORTE NA BAHIA, NO BRASIL E NO MUNDO.

PUBLICIDADE

quinta-feira, 9 de março de 2017

Com um a menos, Vitória sai na frente mas cede empate ao Vasco

Rubro-negro Kieza vence disputa com Rafael Marques - Foto: Marcello Dias l Futura Press l Estadão Conteúdo
Em jogo cheio de lances polêmicos e decisões contestáveis do árbitro, o Vitória ficou muito perto de conquistar, nesta quinta-feira, 9, um triunfo fora de casa na superação após perder Euller, expulso injustamente, nos acréscimos da primeira etapa.
Com o tempo regulamentar  já esgotado, Nenê marcou de pênalti e definiu o placar de 1 a 1 que dá ao Vitória a condição de começar o jogo de volta, na próxima quinta no Barradão, momentaneamente classificado à 4ª fase da Copa do Brasil – serve ao time o empate por 0 a 0 e qualquer triunfo.

O jogo

Duas partes diferentes dividiram o primeiro tempo em São Januário. A metade inicial foi de intensidade, muita disputa, três cartões amarelos distribuídos e sessões de desentendimentos entre os jogadores, com direito a empurra-empurra.
Neste cenário, o Vasco atuou ligeiramente melhor. Tanto que quase abriu o placar com Thalles aos 21 minutos. Ele testou para boa defesa de Fernando Miguel após bela jogada de Nenê, que entortou Willian Farias.
No restante da primeira etapa, a partida ficou mais cadenciada. E vinha se desenhando de forma favorável ao Vitória, que levou perigo em dois lances de lançamento longo. Aos 34, Cleiton Xavier encontrou Kieza na entrada da área. O centroavante ajeitou de peito e Paulinho mandou um petardo que raspou a trave de Martín Silva.
Seis minutos depois, foi a vez de Paulinho acertar o pé. O problema foi que Gabriel Xavier, na hora de arrancar para o gol, adiantou demais a bola e perdeu a oportunidade.
Bem postado atrás e com  chegadas esporádicas, o Leão via para o tempo complementar um bom horizonte. Este, porém, encheu-se de nuvens pesadas quando, já nos acréscimos, Euller acabou expulso pelo segundo cartão amarelo. Na disputa, o vascaíno Kelvin driblou o lateral rubro-negro e se jogou sem ao menos ter sido tocado pelo rival.
Injustiça à parte, seria preciso tentar a superação no segundo tempo para não voltar do Rio com um resultado ruim. E essa busca começou com a substituição no intervalo do atacante Paulinho, em ascensão no Vitória, pelo lateral esquerdo Geferson.
A ideia clara era recompor o sistema defensivo, mas foi justamente por aquele lado que, logo aos dois minutos, o Vasco quase balançou a rede. Nenê avançou pela direita e tocou para Thalles isolar. Recém-entrado, Geferson ainda levou cartão três minutos depois.
A situação não era nada animadora, mas aos poucos o Rubro-Negro foi acalmando a partida. E sorriu – aliás, gargalhou – quando, aos 23 minutos, Manga Escobar deu uma de ‘mamão’ e cometeu pênalti ridículo. Em dividida com Kanu na área defensiva, o colombiano caiu e, pensando que o juiz daria a falta sobre ele, colocou a mão na bola. Esta, porém, foi colocada na marca da cal, e Patric balançou a rede com uma bomba.
O gol fez fechar o tempo em São Januário. A torcida pedia a saída do técnico Cristóvão Borges e vaiava a equipe, que pouco produzia. Nos acréscimos, entretanto, veio o castigo para o Vitória, que se comportava de maneira exemplar com um atleta a menos. David derrubou Nenê próximo à risca da área e o árbitro apontou o pênalti. O mesmo Nenê converteu a cobrança, mas não chegou a amenizar o ‘climão’. Apenas deixou a decisão em aberto para a partida decisiva na casa do Leão, que não deixou de comemorar o resultado.
Vasco 1 x 1 Vitória - Jogo de ida da Copa do Brasil
Local: Estádio São Januário, no Rio de Janeiro (RJ)
Quando: Quinta-feira, 9, às 16h15
Gols: Patric, aos 23’ do 2ºT
Público: 9.266 pagantes
Renda: R$ 327.025,00
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Assistentes: Fabricio Vilarinho da Silva  (Fifa-GO) e Leone Carvalho Rocha (GO)
Cartões amarelos: Gilberto, (Vasco); Willian Farias, Paulinho, Geferson, Kanu (Vitória)
Cartão vermelho: Euller, por ter recebido dois cartões amarelos (Vitória)
Vasco - Martin Silva; Gilberto, Rodrigo, Rafael Marques (Jomar) e Henrique; Jean, Escudero (Manga Escobar), Douglas e Nenê; Kelvin (Muriqui) e Thalles. Técnico: Cristóvão Borges.
Vitória - Fernando Miguel; Patric, Kanu, Alan Costa e Euller; Willian Farias, José Welison, Gabriel Xavier (Bruno Ramires) e Cleiton Xavier (David); Paulinho (Geferson) e Kieza. Técnico: Argel Fucks.


Por Daniel Dórea/ Atarde 
Foto Marcello Dias l Futura Press l Estadão Conteúdo

Nenhum comentário:

Postar um comentário