MSG

DE TERÇA A SEXTA O ESPORTE COM LIGEIRINHO TEM ENCONTRO MARCADO NA PORTO BRASIL FM 88,7 OU NO WWWW.RADIO88FM.NET

NOTÍCIAS DO ESPORTE NA BAHIA, NO BRASIL E NO MUNDO.

PUBLICIDADE

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Com gol irregular no fim, Bahia bate Nacional e avança na Copa do Brasil

Foi no sufoco, nos minutos finais e com uma ajuda da arbitragem. O Bahia não encontrou facilidade diante do Nacional e só conseguiu a classificação graças a um gol irregular no fim da partida. Na noite desta quinta, o Tricolor venceu o Nacional por 3 a 2, na Arena Fonte Nova, e se garantiu na próxima fase da Copa do Brasil. De quebra, a equipe de Sérgio Soares aumentou para 15 a série de jogos sem perder e manteve a invencibilidade dentro de casa em 2015.
Para bater o Nacional, os jogadores do Bahia precisaram suar a camisa, em um jogo cheio de reviravoltas. Só que o Tricolor conta com o faro de matador de Kieza, que garantiu o triunfo e chegou ao 12º gol no ano – Zé Roberto e Tchô marcaram os outros gols do Bahia, enquanto Leonardo e Charles descontaram. E com polêmica. No último gol, Kieza e Tiago Real estavam em posição irregular. Na próxima fase, o time de Sérgio Soares encara o Luverdense, em datas ainda não definidas.Bahia e Nacional agora voltam as atenções para os respectivos estaduais. Enquanto o Tricolor entra em campo para disputar a segunda partida da semifinal contra a Juazeirense, no domingo, o Naça, líder isolado, encara o Rio Negro, na segunda-feira.
Kieza comemora segundo gol do Bahia sobre o Nacional, pela Copa do Brasil (Foto: Reprodução)Kieza salvou o Bahia de um vexame na primeira fase da Copa do Brasil (Foto: Reprodução)

Com o time misto em campo, o técnico Sérgio Soares mudou o esquema tático do Bahia do 4-1-2-3 para o 4-4-2, com Rômulo e Tchô com a responsabilidade de criar as jogadas no meio. A equipe demorou a se ajustar, ficou um tanto perdida nos primeiros minutos, mas, aos poucos, o conjunto fez a diferença. Tanto que o primeiro gol não demorou a sair. E foi todo ele construído por jogadores da base que normalmente começam no banco de reservas. Aos nove minutos, após ótimo cruzamento de Bruno Paulista, Zé Roberto foi no segundo andar e testou com elegância para as redes. Foi o primeiro gol dele em jogos oficiais do Tricolor. Só que o Nacional não veio para Salvador a passeio.
O time do técnico Aderbal Lana tentava aproveitar os espaços deixado pelos donos da casa, principalmente pelas laterais. Mas foi num vacilo de Titi que os visitantes chegaram ao empate. O capitão tricolor tentou espanar uma bola na grande área, só que ela esbarrou em Lídio e se ofereceu livre para Leonardo, que só teve o trabalho de empurrar para as redes. O Bahia teve a chance de retomar a dianteira no placar com Tchô, mas o jogador perdeu aquele dito gol feito. Yuri quase marca um gol de placa, mas coube a outro tricolor a tarefa de pintar uma obra prima na fonte. Em jogada ensaiada, Thales desviou para o meio da área e Kieza, de voleio, mandou para o gol. Por uma dessas ironias do destino, a bola resvalou em Tchô antes de entrar, e o árbitro pôs em sua conta o gol da virada.
O segundo tempo começou morno na Arena Fonte Nova. Com o resultado que lhe garantia a vaga na próxima fase, o time da casa voltou sem qualquer ímpeto ofensivo, ditando o ritmo da partida da maneira que lhe convinha. Só que o Nacional não estava a fim de fazer parte da festa e logo tratou de mostrar ao adversário que não estava ali para brincadeira. Com 12 minutos, Charles aproveitou confusão na defesa tricolor e, da entrada da área, acertou um lindo chute colocado no canto esquerdo de Douglas Pires.
O gol serviu para que o técnico Sérgio Soares mandasse a campo os titulares Maxi Biancucchi e Wilson Pittoni, além do atacante Willians Santana. A partir daí, foi um jogo de ataque contra a defesa. O Bahia pressionava, porém o Nacional se defendia com eficiência para impedir as investidas dos donos da casa. Só que, de tanto martelar, a pressão fez efeito. Maxi Biancucchi recebeu na entrada da área, fez bela jogada individual e tocou para Tiago Real, em posição irregular. Dentro da área, ele não foi fominha e rolou para Kieza, livre, garantir a classificação e fazer a alegria dos 6.571 tricolores presentes nas arquibancadas da Fonte.  Salvador G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário